Image Map

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Diga não ao corte de árvores sadias, mas a Prefeitura de Curitiba diz sim!

Olá pessoal,

Vocês já ouviram falar sobre árvores invasoras? Este é um tema polêmico, que vamos abordar no post de hoje. Resumindo: milhares de árvores estão sendo cortadas pela Prefeitura de Curitiba por estarem fora de sua área natural. Nossa opinião é que antes disso deveria haver outras ações, porém nossos representantes vão pelo caminho mais fácil, e não pelo correto!

Uma leitora do Vândalo Verde nos enviou uma matéria do jornal Gazeta do Povo a respeito de árvores de espécies consideradas invasoras e os cortes que são realizados pela Prefeitura de Curitiba. Para quem não leu a matéria, segue o link:

Mas quando uma espécie é considerada “invasora”? De acordo com matéria do jornal Bem Paraná, “são consideradas espécies exóticas aquelas que estão fora de sua área de distribuição natural. Algumas delas, chamadas de invasoras, têm capacidade de se proliferar e ocupar o lugar das espécies nativas, podendo até mesmo causar a sua extinção”. Na mesma matéria, a bióloga doutora em Ecologia, Raquel Negrelle, aponta que “as espécies exóticas invasoras são consideradas a segunda maior ameaça mundial à biodiversidade”.

Entre as espécies de invasoras mais encontradas nos parques e bosques de Curitiba, por exemplo, estão a alfeneiro, amarelinho, amoreira-preta, casuarina, cinamomo, eucalipto, nespereira, pau-incenso, pinus e uva-do-japão.

Mas porque cortar uma árvore que está saudável? Esta é a pergunta e muitas vezes indignação de muitas pessoas, como da nossa leitora que nos enviou a reportagem. De acordo com a bióloga Raquel Negrelle, na reportagem da Gazeta do Povo, “as pessoas não entendem o motivo da retirada de uma planta saudável. Difícil dizer para a população que aquela árvore cheia de frutinhas, como a amora preta, deve ser cortada. Ela destaca que ações de educação ambiental podem esclarecer a importância de preservar o ambiente para as espécies nativas, explicando os danos causados pelas invasoras”.

Concordamos com a bióloga, porém antes de entrar nesta questão das árvores invasoras com a população, acreditamos que a educação e preservação ambiental venham em primeiro lugar! Tantas árvores já são cortadas desnecessariamente em nossa cidade, que se a “moda” das invasoras pega por meio destas ações, por exemplo, a situação ainda pode piorar! Melhor começar pela preservação do que pelo corte, não é mesmo?

Corte e replantio

Ainda de acordo com a matéria da Gazeta do Povo, a Prefeitura de Curitiba corta mais de 1,5 mil a 2 mil árvores invasoras por ano em Curitiba. Mas há uma lei que diz que quando uma invasora é cortada, deve haver o plantio de duas árvores de 1,5 metros.

Mas a nossa dúvida é: será que somente as invasoras é que são cortadas? E as denúncias de tantas outras espécies que recebemos? Nosso receio é que esteja havendo cortes indiscriminados pela Prefeitura, realizados por qualquer motivo.


Outra questão é o replantio de árvores. Em uma denúncia anterior, realizada por um morador do bairro Boa Vista, ele nos contou que uma tipuana sadia, de aproximadamente 40 anos, que ficava próxima a sua casa, foi cortada sem motivo e em seu lugar houve a substituição por uma árvore pequena, que nunca conseguirá retornar ao ambiente os benefícios que a anterior trazia.

Aqui estão as fotos, dá para acreditar nisso? 



Nossa conclusão é a de que as invasoras podem ser cortadas, pelos motivos que mencionamos acima. Porém, deve haver estudos e critérios minuciosos a este respeito, para não haver morte de árvores saudáveis que não prejudicam em nada, aliás, só nos beneficiam. E também deve haver bom senso na hora do replantio. De nada adianta substituir uma grande árvore, que traz sombra e ar fresco, por um “arbusto”!

Se alguém souber de um caso assim, seja positivo ou negativo, conte para a gente. Até a próxima!

2 comentários :

  1. O problema das exóticas invasoras é muito grave sim! Na Região Metropolitana de Curitiba, remanescentes de Mata com Araucária, protetoras dos manancias que abastecem a capital paranaense, estão infestados dessas espécies prejudicando e muito esse ecossistema. Quanto temos que adiar as ações necessárias, até a água acabar? Cabe a cada morador que recebe uma muda em frente de casa, ainda que pequena, zelar por ela. A responsabilidade é de todos.

    ResponderExcluir
  2. O ecossistema é algo dinâmico. Há quanto tempo essas árvores estão "invadindo" Curitiba? além disso, elas não estão em mananciais, estão fornecendo sombra, frescor, paisagem e abrigo para pássaros no local em que os humanos já invadiram. Foi feito um estudo de impacto ambiental para isso? E as baratas e ratos invasores?

    ResponderExcluir