Image Map

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Será que ainda dá tempo?


Olá pessoal,

Com certeza vocês viram alguma notícia a respeito da relação entre a seca que atinge o Estado de São Paulo e o desmatamento na Amazônia, não é mesmo? De qualquer forma, vamos explicar o que acontece, de acordo com matéria do programa Fantástico, no site G1:  “A Amazônia bombeia para a atmosfera a umidade que vai se transformar em chuva nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Quanto maior o desmatamento, menos umidade e, portanto, menos chuva. E sem chuva, os reservatórios ficam vazios e as torneiras, secas”.

A devastação da Mata Atlântica, em São Paulo, faz com que haja a formação de uma massa de ar quente na atmosfera. Esta massa é tão densa que faz com que a chuva que vem da Amazônia por meio dos “rios voadores”, imensas massas de vapor d´água que são levadas por correntes de ar, e são responsáveis por grande parte das chuvas nesta e em outras regiões, seja bloqueada. O resultado disso nós já sabemos.
Observando esta situação e com o objetivo de tentar pelo menos freá-la (porque reverter achamos que não dá mais tempo!), diversas entidades, como a Rede Globo, lançaram campanhas de respeito ao meio ambiente e plantio de árvores em São Paulo. Confiram: http://g1.globo.com/sao-paulo/verdejando/index.html
E a situação em Curitiba, como ficará?

Nós do Vândalo Verde recebemos tantas denúncias de cortes de árvores desnecessariamente, inclusive com autorização da nossa Prefeitura, que tememos que aconteça em Curitiba o mesmo que está ocorrendo em São Paulo.

E será que teremos que passar por isso aqui para então os cidadãos e os nossos representantes entenderem a necessidade de termos árvores perto de nós? Com certeza os motivos políticos e circunstanciais da Prefeitura de Curitiba não nos trará chuvas e nem ar puro para respirarmos. Pelo contrário, dessa forma muito em breve nós, ou os nossos filhos, estaremos vivendo em meio a seca. Já podemos observar uma mudança pelo nosso clima atual: hoje as temperaturas de inverno são bem parecidas com os nossos verões da década de 90, por exemplo. Por isso, pedimos de todo o nosso coração: vamos acordar, pessoal!

Continuem participando do Vândalo Verde com denúncias, notícias e também boas ações ambientais. Porque é disso que estamos precisando!


segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Denúncia: escola de Educação Infantil Peixinho Dourado corta Araucária e estaria prestes a derrubar outra

Olá pessoal,

Recebemos uma denúncia, vinda de duas moradoras do bairro Alto da XV, em Curitiba, Ana e Eduarda*.

No dia 23 de agosto elas foram surpreendidas com o corte de uma Araucária que fica em frente a escola de Educação Infantil Peixinho Dourado, situada no mesmo bairro. Segundo elas, diversos moradores da região, vizinhos da escola, tentaram impedir o corte com mobilização e protestos em frente ao local, porém os responsáveis estavam irredutíveis. Apresentaram uma justificativa, de acordo com a vizinhança, nada convincente. Eles teriam um licenciamento, questionável segundo eles, já que se tratava de uma árvore sadia e sem inclinações.

Foto ilustrativa para mostrar a beleza desta espécie!


A Polícia Militar foi chamada, pois o responsável pelo corte ameaçou fisicamente quem protestava e exigia ver os documentos para uso do equipamento. O fato é que a árvore acabou sendo cortada, e mais: a proprietária da escola solicitou o corte de mais uma Araucária, que está aguardando avaliação para os próximos dias.

Gostaríamos de saber: porque uma escola de Educação Infantil, até onde se sabe bastante conceituada em Curitiba, comete uma crueldade dessas em frente a instituição em que diversas crianças estão tendo os seus valores formados? Não seria o caso de se pensar milhares de vezes antes de se cometer este tipo de ato? Uma das senhoras que fez a denúncia ao Vândalo relatou: “Se uma escola acha que derrubar árvores saudáveis é natural imagine como está preparando as crianças para o futuro”. É de se pensar!

Estamos acompanhando o caso e vamos tentar contato com a escola para ver que tipo de resposta teremos. Postamos aqui para vocês assim que (e se) a tivermos!


*os nomes são fictícios para preservar a identidade das denunciantes