Image Map

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Árvores pata-de-vaca sofrem poda drástica

Olá pessoal,

Recebemos mais uma denúncia de poda drástica de árvores. A estudante de Biologia, Sara Ellen, contou que o crime ambiental ocorreu em Curitiba, na Rua Nilo Peçanha, em frente ao número 3500. Diversas árvores nativas da espécie pata-de-vaca, que embelezavam a via pública, de um dia para o outro ficaram totalmente sem folhas, com seus galhos quebrados.


As árvores antes da poda 


 Após a poda, com todos os galhos cortados


A estudante contou que passa frequentemente pelo local e encontrou as árvores já cortadas, portanto não sabe dizer quem cometeu este crime. Ela viu alguns estrangeiros que foram à Fan Fest durante a Copa do Mundo revoltados com a situação. Esta foi a impressão da “Cidade Ecológica” que eles tiveram e que vão levar pelo mundo!

Sara fez uma reclamação na Prefeitura de Curitiba, por meio do telefone 156, e recebeu a resposta de que a situação seria averiguada e uma resposta dada. A denúncia tem o seguinte protocolo: 14005339.

Vamos aguardar a resposta da nossa Prefeitura, que deixou passar este crime ambiental sem verificar antes o que estava acontecendo. Agora as árvores já sofreram a poda drástica e muito provavelmente irão morrer.

Para quem quiser saber mais sobre as consequências da poda drástica para as árvores, fizemos este post sobre o assunto em 2012: http://www.vandaloverde.com.br/2012/07/denuncia-do-vandalo-verde.html

O leite já derramou! E agora? 

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Depois de um ano de luta, finalmente o Parque Gomm vai existir!

E precisava de todo este tempo e esforço para a preservação do nosso verde? Esta foi uma questão levantada por nós do Vândalo Verde a um dos articuladores da luta para transformar o Bosque Gomm em Parque Gomm, agora considerado uma unidade de conservação, Luca Rischbieter. E ele, assim como nós, acha que não!

“Os órgãos governamentais não estão mais acostumados a criar ações, não possuem o hábito de intervir proativamente em questões tão necessárias, como a preservação do verde, por exemplo. Foi preciso esta série de encontros e mobilização de tanta gente para conseguirmos ter voz e finalmente intervirmos a favor do Bosque Gomm. As leis existem, mas precisamos que o poder público atue mais e não fique esperando as coisas tomarem tamanha proporção para tomarem uma atitude.”


Para quem não acompanhou a luta pela criação do Parque Gomm pode entrar na página do Facebook “Salvemos o Bosque da Casa Gomm”, onde estão várias informações sobre a causa. 
Resumindo: há um ano iniciou-se um movimento que acabou impedindo uma obra viária  que fazia parte do projeto inicial de implantação do shopping Pátio Batel e que cortava o Bosque Gomm ao meio, devastando inúmeras árvores. 



*as imagens são da página do Facebook "Salvemos o Bosque da Casa Gomm"

Este movimento mobilizou pessoas de todas as tribos e classe sociais que utilizam o espaço verde para seus momentos de descanso e lazer. Foram realizados diversos eventos no local e também reivindicações pelo Facebook, até que a causa foi tomando forma. Assim, por meio de toda esta pressão, por assim dizer, a Prefeitura de Curitiba resolveu poupar o espaço da especulação imobiliária.

Mais uma vez a gente pergunta: é necessário tudo isso, todo este esforço da população, todas essas horas devotadas pelos cidadãos para a Prefeitura de Curitiba entender o recado de que queremos mais verde? É tão fácil cortarem uma árvore e tão moroso preservá-la? O que está faltando na Prefeitura de Curitiba para entender o que o povo quer? Será que para cada passo temos que ter um esforço de um gigante? Não, com certeza não tinha que ser assim. Há algo muito errado aí!

Mas, de qualquer forma, terminamos este post com o alívio em saber que tantas árvores e área verde da cidade foram poupadas por meio do esforço de tantos cidadãos. Bom saber que existe muita gente com a filosofia do Vândalo Verde! E vamos em frente!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Amendoeira é morta por pura crueldade

O Vândalo Verde recebeu mais uma denúncia de corte de árvore: uma linda e frondosa amendoeira, morta por pura crueldade! Quem enviou a denúncia foi uma moradora de Salvador – Bahia, chamada Mariana *.

Amendoeira seis meses antes do corte

A árvore depois da maldade que causou sua morte


Ela contou que uma vizinha chamou um morador de rua e pagou a ele para cortar uma árvore que fica em frente ao condomínio em que moram. E o motivo? Segundo a Mariana, somente maldade, já que os fios de eletricidade ficam do outro lado da rua e não haveria outra razão para este corte.

Mariana, que ficou indignada com esta situação, entrou em contato com todos os órgãos que se dizem responsáveis pela questão ambiental (não especificou quais na mensagem encaminhada ao Vândalo), porém sem sucesso.

Mais uma vez nos deparamos com estas situações de descaso dos órgãos que se dizem “responsáveis” pela preservação das árvores e do meio ambiente. Se não podemos recorrer a eles, o que fazer então?

Vamos continuar a nossa prestação de serviço, publicando notícias, denúncias e alertando a população. Contamos com a participação de todos. Assim, de “grão em grão”, vamos fazendo a nossa parte e tentando colaborar para que eles façam a deles!

Obrigado Mariana, fica aqui o seu protesto!

Outras práticas comuns contra o meio ambiente

O Vândalo Verde publicou um post no ano de 2012 a respeito de podas drásticas que, assim o corte, também podem causar a morte de árvores. Para quem não acompanhou, segue o link:  http://www.vandaloverde.com.br/2012/07/denuncia-do-vandalo-verde.html

A pergunta é: porque um ser humano comete este tipo de crueldade? Fica nossa pergunta e indignação.

*o nome da denunciante é fictício, para preservar sua identidade.






PUCPR prometeu não cortar o pinheiro!

Por meio de nota da assessoria de imprensa da PUCPR que se encontra abaixo, conseguimos uma promessa da universidade de não cortar o pinheiro que se encontra em um terreno de sua propriedade no bairro Rebouças. Na última sexta-feira, recebemos uma denúncia de possível corte, e agora temos a notícia de que a árvore será preservada! O Vândalo está muito contente com esta notícia! 
Confiram o post: http://www.vandaloverde.com.br/2014/07/vamos-evitar-o-corte-desnecessario-de.html

Já a Prefeitura de Curitiba ainda não se manifestou a respeito, e se a árvore já tivesse sido cortada, como seria? O que esperamos é que haja mais agilidade do município na questão ambiental. Com certeza muitos crimes contra árvores seriam evitados!

Nota à imprensa
A PUCPR informa que preservará o pinheiro localizado à Rua Rockfeller, 1325 – Rebouças. Esta decisão baseia-se em respeito à árvore símbolo do Paraná e à Lei Florestal do Estado.
A Universidade ressalta ainda que, caso sejam realizadas obras no local, todas as medidas serão tomadas para que a árvore seja preservada.




sexta-feira, 4 de julho de 2014

Vamos evitar o corte desnecessário de um pinheiro em terreno da PUC-PR

O Vândalo Verde acaba de receber uma denúncia realizada pelo Sr. Nelson, morador do bairro Rebouças. Ao lado da sua casa há um terreno que pertence a PUC-PR, onde há um bosque com diversas árvores e entre elas um pinheiro, que está sendo ameaçado de corte a algumas semanas. O terreno está localizado na Rua Rockfeller, 1325 – Rebouças.


Vista aérea 



Aqui se vê o terreno

o Pinheiro ameaçado de corte 


O Sr. Nelson contou que alguns empreiteiros já foram ao local, provavelmente para fazer orçamento de alguma construção, que ele imagina ser um estacionamento, e todos eles quando perguntados responderam que todo o terreno será limpo e o pinheiro cortado. Ele contou também que metade das árvores do imóvel já foram cortadas e possui esta informação porque é ele quem cuida deste terreno que estava abandonado para evitar entrada de ladrões, etc, e um dos cortes causou uma queda de árvore em cima de sua casa.

Já foi realizada uma denúncia na Prefeitura de Curitiba, por meio do telefone 156, e o protocolo é 54633743. O receio do Sr. Nelson é de que quando o município for avaliar a questão o pinheiro já esteja morto. Por isso fez a denúncia aqui no Vândalo Verde. Vamos fazer a nossa parte aqui e no Facebook para chamar a atenção dos órgãos ambientais, para que avaliem a questão.

Sabemos que o corte de pinheiros sem autorização configura-se como crime ambiental, ocasionando multas e até prisão. Será que a PUC-PR está autorizada a realizar este corte? E por quais motivos haveria esta autorização, já que a árvore está sadia e não apresenta perigo algum?

Vamos esperar uma resposta e a solução deste caso!