Image Map

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

O que é progredir?

Os últimos dias foram marcados por tristes episódios contra a natureza e a memória de Curitiba. Em nome do Progresso, cerca de 60 árvores foram cortadas no bairro Jardim das Américas e um bosque de mata nativa no Bom Retiro está ameaçado. 
Segundo o dicionário Michaelis, a palavra Progresso pode ser definida como “transformação gradual que vai do bom para o melhor”. Será que realmente a Cidade está caminhando do bom para o melhor? Em poucas linhas, vamos tentar descobrir.
Com o argumento de alargar a Rua Marechal Cardoso Junior para melhorar o trânsito da região do Jardim das Américas, aproximadamente 60 árvores foram cortadas. Espécies saudáveis e plantadas há mais de duas e três décadas foram ao chão, sem chance de defesa.
O bairro Jardim das Américas já passou por uma grande obra, especificamente na rua Coronel Francisco H. dos Santos, que, agora, dá acesso ao viaduto estaiado. A antiga obra para a duplicação de pistas garantia a melhora do fluxo de veículos e foi concluída em 2008. Passados quatro anos, todo o investimento realizado não está sendo mais efetivo para o atual trânsito da região.
Isso nos leva a crer que as 60 árvores cortadas pagaram com as suas próprias vidas uma obra que, tão logo, será ineficaz e obsoleta. Ainda que ruas sejam alargadas, pontes sejam erguidas e pistas sejam multiplicadas, o trânsito será congestionado e caótico se o número de veículos continuar aumentando a cada ano.
A moradora do bairro Jardim das Américas, Ana Deliberador entrou em contato pelo blog Vândalo Verde para fazer esta denúncia. Ela contou que os moradores foram à prefeitura, fizeram abaixo assinado, mas nada mudou. Ela ainda apontou outro grave problema: qual o destino das toneladas de madeira gerada pelas árvores cortadas? Também não sabemos.
Ainda visando uma interpretação distorcida da palavra Progresso, o bosque de mata nativa do antigo endereço do Hospital Psiquiátrico Bom Retiro também está ameaçado. Agora, sob a responsabilidade de uma empresa particular, ele corre riscos em nome de um projeto que ainda não foi apresentado à comunidade.  
Os moradores do bairro Bom Retiro se mobilizaram e entraram em contato com o Vândalo Verde em outubro, quando a prefeitura chegou a embargar a obra para analisar o caso. Porém, no início de dezembro o Hospital veio abaixo, levando parte da história e da identidade da região.
Fica a pergunta: isto é progresso?
Infelizmente, quando todos se certificarem que não é, poderá ser tarde demais.
Vale a pena conferir: http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/?id=1326783&tit=o-medico-e-o-monstro-que-nao-gostava-de-arvores


Cortes das árvores no bairro Jardim das Américas - Foto: Google (antes) e Ana Deliberador (depois)


Demolição do Hospital Bom Retiro - Foto: Gazeta do Povo

2 comentários :

  1. Muito triste. DEMOLIR UM HOSPITAL QUE PODERIA TERSIDO AMPLIADO E SERVIR A COMUNIDADE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A inversão de valores da nossa sociedade é quase inacreditável. Shoppings, estacionamentos e carros tem preferencia sobre hospitais, escolas, praças e áreas verdes. À esta inversão de valores e que a população de modo geral chama de progresso. Triste...

      Excluir