Image Map

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Vândalo Verde na RPC TV (Rede Globo)


Olá pessoal,

Em nosso penúltimo post falamos a respeito de um laudo emitido pela Universidade Federal do Paraná – UFPR que comprova a saúde da Paineira Rosa de 70 anos, que seria cortada pela Prefeitura de Curitiba indevidamente, por meio de falsas alegações de que a árvore oferecia riscos à população (http://vandaloverde.blogspot.com.br/2012/06/paineira-rosa-fica-ufpr-emite-laudo.html).

Na semana passada, a RPC TV, afiliada da Rede Globo no Paraná, nos procurou novamente (eles estão acompanhando a história da Paineira desde o início) e fez uma reportagem a respeito deste laudo e também do que esperamos agora, ou seja, que a Prefeitura faça os “curativos” necessários na árvore para que ela continue saudável. Como eles haviam começado o corte, que levaria três dias, alguns galhos ficaram machucados e agora precisam de reparos. Esperamos sinceramente que eles resolvam logo esta situação, para que a árvore não padeça por falta (mais uma vez) de sensibilidade e responsabilidade deste órgão.

Confiram a matéria no link abaixo e até breve!



quinta-feira, 14 de junho de 2012

Denúncia – a árvore “cimentada”


Olá pessoal,

O Vândalo Verde recebeu uma denúncia de maus tratos a uma árvore e quer compartilhar com vocês. Uma moradora do bairro Sítio Cercado, chamada Susane, que está morando há pouco tempo no local, contou que no meio do condomínio em que mora está sendo construída uma rua que passará pelo meio do conjunto e que ligará duas ruas principais. Até aí tudo bem, se não fosse pelo fato de que na calçada desta rua há uma árvore que, com o asfalto, ficou sem nenhuma margem de terra à sua volta, somente concreto.



A preocupação de Susane veio pelo fato de que, seja em Curitiba ou em qualquer outra cidade, ela nunca viu qualquer árvore sem margem de terra em volta. Segundo ela, que não tem conhecimento técnico do assunto, este fator irá dificultar o desenvolvimento do caule e a absorção da água pelas raízes.

E ela tem razão: de acordo com o botânico Ricardo Cardim, em matéria publicada no Blog do Planeta, da revista Época (http://colunas.revistaepoca.globo.com/planeta/tag/urbanismo/), e em seu blog Árvores de São Paulo (http://arvoresdesaopaulo.wordpress.com/2011/10/05/arvores-cimentadas-e-as-chuvas-de-verao-na-cidade-de-sao-paulo/), ele explica que “um dos principais fatores para essa questão urbana tem a origem em um ato aparentemente inofensivo ou até ‘higiênico’, a impermeabilização da base da árvore com cimento ou asfalto em volta da planta. Muitos proprietários costumam estender suas calçadas até lá, alegando que assim não faz ‘sujeira’ (como se a terra fosse isso) e fica mais bonito. Privando as raízes do contato com o ar, água das chuvas e nutrientes vindos da matéria orgânica, a chance da árvore adoecer e ficar suscetível a pragas é enorme e, consequentemente, de cair – inclusive sobre a casa ou carro do ‘cimentador’. O feitiço volta para feiticeiro”.

Com este relato do botânico dá para entender perfeitamente a preocupação da moradora do Sítio Cercado, já que obviamente uma árvore cimentada não ficará saudável. Como falei anteriormente, a moradora não é técnica no assunto, mas mesmo assim detectou este sinal de perigo. Infelizmente ela não soube nos dizer se esta obra é da Prefeitura ou da construtora do condomínio mas, de qualquer forma, seja quem for, estas pessoas não saberiam que árvores não podem ser cimentadas em toda à sua volta? É lamentável que, por questões estéticas, mais uma árvore seja sacrificada.

Levantamos 3 possibilidades de erro, omissão ou descaso:

A Construtora agiu contra as leis ambientais vigentes;
A PMC aprovou a “cimentada”;
A PMC não fiscalizou a obra;

Em qualquer uma das hipóteses teremos o mesmo resultado: “uma cidade impermeável”

Dados do local da denúncia:

Rua Dr. Levy Buquera, 500 – Sítio Cercado
Ponto de referência: entre as ruas dos Pioneiros e Marte. Próximo à Unidade de Saúde 24 (SUS)


Mais um desabafo da moradora

Além de fazer a denúncia sobre o asfaltamento da árvore em questão, Susane fez um desabafo. Ela contou que em frente ao condomínio era “lama pura” em dias de chuva e que por isso os moradores estão muito satisfeitos porque a obra está em fase de acabamento. Ela está entristecida pelo fato de que “pelo visto, ninguém está muito preocupado com a falta de vegetação, muito menos em ter uma rua completamente “impermeável”. Não sobrou nem um espacinho para plantar grama”, conta.



Ainda segundo a moradora: “o Sítio Cercado “é uma ‘selva de pedras’, sem árvores...” Triste, não? Em uma capital denominada ecológica (com certeza falta muitíssimo para isso), encontrar um bairro assim, desprovido de vegetação.

Mande você também a sua denúncia para que possamos publicar aqui no blog Vândalo Verde. Não deixe que uma árvore, um animal ou qualquer ser vivo seja sacrificado em silêncio, assim como acontece tantas e tantas vezes.

Até a próxima.




sexta-feira, 8 de junho de 2012

A Paineira Rosa fica! UFPR emite laudo comprovando que a árvore é saudável!

Olá pessoal,


Estamos muito felizes em dar esta notícia para todos que estão acompanhando a história da Paineira Rosa: o laudo da Universidade Federal do Paraná - UFPR, assinado pela professora dos cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Florestal da universidade, Dra. Daniela Biondi, é conclusivo e afirma que em todos os aspectos a Paineira 
é saudável e não apresenta riscos à população.



Paineira Rosa, uma florada antes do corte.

Se você está pegando a notícia pela metade, veja como tudo começou no post: http://vandaloverde.blogspot.com.br/2012/03/ajude-combater-o-corte-da-paineira-rosa.html
De acordo com uma das afirmativas do laudo assinado pela Dra. Daniela Biondi, a Paineira “deveria ser uma árvore tombada ou imune de corte, justificada pela sua beleza, porte e excentricidade”. Confesso que estou bastante satisfeito com esta vitória.

O que me entristece é o comportamento da Prefeitura de Curitiba durante todo o processo. Posso citar, por exemplo, o desserviço prestado por alguns de seus funcionários, que afirmaram que a árvore estava caindo e interferindo nas redes elétrica e de esgoto (sem apresentar prova alguma). Para completar, ainda me falaram que, caso houvesse algum dano à vida das pessoas, eu e os que defendiam a árvore seríamos responsabilizados.

Gostaria realmente de saber de onde eles tiraram estas falsas afirmações a respeito da árvore, já que quando tiveram o direito de se defender, na Ação Popular movida para evitar o corte da Paineira, só falaram que a árvore estava causando sujeira nas calçadas dos moradores. Porque perante a Juíza não falaram tudo aquilo que afirmaram a mim no dia em que eu estava acorrentado à Paineira para evitar o seu corte – deixo esta parte??? Eu mesmo respondo esta questão: porque estavam mentindo! (ou omitindo, até que me provem ao contrário, se isso for possível – e, ainda assim, quem vai acreditar em documentos apresentados agora, ao invés de na ocasião em que tiveram oportunidade). Além de tudo, ainda me ameaçaram. Que coisa mais triste.

O pior de tudo é: como cidadãos de boa fé, cremos no que os órgãos públicos nos afirmam. E, por exemplo, neste caso em que o pessoal da Prefeitura de Curitiba contou tantas mentiras, como fica o cidadão? Se eu desacato um funcionário da Prefeitura, chamando-o de         mentiroso, sou passível de punição conforme diz a Lei. Mas ele mentindo para mim, como é que fica? Difícil de engolir, de aceitar, de não me entristecer...

Detalhes do caso

Para aqueles que queiram conhecer o caso mais a fundo e também para evitar críticas de que eu possa estar falando meias verdades, segue o laudo da UFPR, a defesa da Prefeitura e a defesa do nosso advogado:

Um espaço para denúncia e um novo projeto

Para finalizar o post de hoje, gostaria também de dizer que, neste curto tempo de existência do blog Vândalo Verde, já recebemos diversas denúncias de danos ao meio ambiente urbano. Como sabemos que os órgãos de denúncia não funcionam, este é um dos objetivos do blog. Por isso, contem com a gente, denunciem, descrevam suas histórias para serem expostas aqui. Faremos o que for possível para ajudar! E, com a quase certeza de que a Paineira Rosa vai ficar em pé, gostaria de contar em primeira mão para vocês que nosso objetivo agora é apresentar um projeto que visa um melhor tratamento a nossa fauna e flora urbanos. Mas este é um assunto para os próximos posts!

Até breve.