Image Map

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A crueldade "desceu a serra": árvores do Litoral do Paraná estão em perigo!


Olá pessoal,

Há cerca de dois meses, denunciamos no blog a poda drástica de uma linda e frondosa árvore em Guaratuba, litoral do Paraná. Se você não acompanhou, clique aqui.

Na ocasião, a moradora, que passa todos os dias pelo local em que a árvore foi devastada, estava muito triste e indignada, pois ela não apresentava nenhum sinal de doença; pelo contrário. E, também, não estava representando perigo algum. Mas, mesmo assim, muito provavelmente em função de uma reforma, foi cortada sem a mínima dor na consciência.

Eis que agora, do dia para a noite, mais quatro árvores, que situam-se ao lado da que foi cortada primeiramente, também sofreram poda drástica. A moradora achou muito estranha e também rápida a ação do cidadão (e podemos chamar assim?) que cometeu essa atrocidade. Isso porque ela passa duas vezes por dia pelo local e não notou nada diferente, até que se deparou com essa verdadeira crueldade:

Vejam como eram as árvores antes da poda. Pareciam 
atrapalhar em alguma coisa?


Dá para entender uma atitude como essa? Trocar o verde, a vida, por essa
cena lamentável!


Será que, por terem ideia do que estavam fazendo, os responsáveis por essa verdadeira tentativa de assassinato (pois é bem provável que essas árvores, sem defesa, peguem doenças e morram) realizaram a ação na calada da noite? Ou esperaram um horário "alternativo"?

Fato é que gostaríamos muito de saber o motivo para tanto ódio daquelas que nos fazem tão bem. Parece que o ser humano vem perdendo os valores, os parâmetros, cada vez mais. E, desse jeito, não vai sobrar ninguém para contar a história. Só para avisar, mais uma vez, o concreto não nos fornece oxigênio, mas as árvores, sim!

Outra questão que nos deixa atordoados, por não entendermos tamanha ignorância, é uma cidade litorânea, turística, cercada pela natureza, onde se necessita tanto de sombra e umidade, ter suas árvores devastadas dessa forma.

Prefeitura de Guaratuba, o meio ambiente da região está abandonado? Há algum tipo de fiscalização nesse sentido? Será que, assim como aconteceu em Curitiba, o concreto também vai começar a dominar a cidade?

Aguardamos uma resposta.


Até mais. 

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Conheça as árvores mais antigas do planeta pelas lentes da fotógrafa Beth Moon


Olá pessoal,

Ficamos tão entusiasmados com o belíssimo trabalho da fotógrafa norte-americana, Beth Moon, que não poderíamos deixar de repercutir aqui!



A profissional passou mais de 14 anos fotografando árvores em vários lugares do mundo. Seu critério para as imagens foi a idade, tamanho e história de cada uma delas. A árvore mais antiga clicada pela fotógrafa, para se ter uma ideia, tem 4.800 anos.

Elas são verdadeiros símbolos do tempo! Como comentou a fotógrafa em entrevista para a revista Vogue, essas árvores são um dos maiores e mais antigos monumentos da terra, e com esse trabalho, transformado no livro Ainciente Threes: Portraits of Time, poderão ganhar uma significância maior.




Inclusive, um dos objetivos de Beth Moon foi justamente alertar sobre a importância da sobrevivência das árvores, um dos seres mais antigos do mundo.

Confira matéria do site Hypeness, que traz mais de 20 fotos contidas no livro. Temos certeza de que, assim como nós, vocês também ficarão deslumbrados com a beleza e imponência de Baobás de Madagascar, Dragoeiros, considerado um "fóssil vivo", entre tantas outras espécies.




Gostou do post de hoje? Não deixe de compartilhar em suas redes sociais! Dessa forma, mostrando tanta força e frondosidade, estaremos ajudando esses seres tão maravilhosos a  ganharem mais respeito.


Até logo!

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Conheça 25 espécies de árvores que você pode plantar sem medo

Olá pessoal,

Hoje é dia de falar de plantio e te dar dicas de quais espécies de árvores podem ser plantadas sem medo de que apresentem algum problema futuro, como em relação a rede elétrica e calçadas, por exemplo. 




Acabamos, infelizmente, falando de tanta crueldade com as nossas queridas verdinhas, com o objetivo de defendê-las, mas também é essencial compartilharmos aqui informações interessantes sobre como encher o local em que vivemos com as frondosas e tão essenciais, árvores.  

Afinal, além de trazerem beleza, também são fundamentais para a nossa sobrevivência. Elas proporcionam equilíbrio térmico, ajudam na redução do ar e da poluição sonora, além, é claro, da produção de oxigênio. Sem ele, como viver?

Porém, na hora de plantar, primeiramente você tem que analisar quais são as espécies apropriadas para o plantio em espaços públicos (nesse caso não esqueça de pedir permissão em sua prefeitura) e em seu jardim. Dessa forma, você evita problemas futuros, como calçadas quebradas, tubulações estouradas, entre tantos outras dores de cabeça. E, principalmente, evita que um dia essa mesma árvore que você plantou acabe sendo cortada. 

Por isso, gostaríamos de compartilhar com vocês um artigo do blog Plantei, que traz 25 árvores que você pode plantar sem medo de destruir a calçada e a rede elétrica.

Uma dica bem interessante da matéria é de que árvores com até 10 metros podem ser plantadas em calçadas com fiação, já acima disso o indicado é que seja em lugares sem fiação elétrica. Um bom parâmetro na hora de escolher sua espécie favorita. 

Agora é começar a se inspirar para embelezar a comunidade onde você vive e sua casa! Não esqueça de compartilhar essas dicas para que, com mais informação, a gente possa trazer mais vida ao planeta de forma consciente.

Até logo!

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Fim da Reserva do Cobre: Temer libera 4 milhões de hectares para mineração


Olá pessoal,

Realmente não falta mais nada para envergonhar quem realmente ama o Brasil. Dessa vez, nosso principal "representante", o presidente Michel Temer, assinou um decreto extinguindo a Reserva do Cobre, uma área com 47 mil metros quadrados situada na Amazônia. A partir de agora, a região, um pouco maior do que o Espírito Santo, poderá ser explorada pela iniciativa privada. 

Não podemos deixar elas morrerem!


Se você está aqui é porque muito provavelmente valoriza as árvores assim como nós, então pode começar a se entristecer,  pois se nada for feito será o fim de milhares delas. A Reserva do Cobre possui nove áreas protegidas: a Reserva Biológica de Maicuru, O Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, as Florestas Estaduais do Paru e do Amapá, a Estação Ecológica do Jari, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru, a Reserva Extrativista Rio Cajari e as Terras Indígenas Wãiapi e Rio Paru d'Este. De todas essas, apenas uma pequena área da Floresta Estadual Paru teria previsão para mineração.

E, sem consultar os brasileiros, nosso presidente tomou essa atitude sórdida de quem não tem o mínimo respeito ao meio ambiente. Segundo o decreto de Temer, por mais que a reserva tenha sido extinta e com isso iniciará a exploração mineral, as legislação sobre que protege a vegetação nativa será respeitada. Como assim? De que jeito?

Confira a opinião de especialistas sobre o fim da Reserva do Cobre

A jornalista e comentarista, Miriam Leitão, em matéria do site G1, falou sobre o assunto. Segundo ela, não há como garantir que as normas ambientais serão respeitadas. "Na verdade é ao contrário, pois quando o governo abre uma área como essa, mesmo que tente controlar,  o que irá fazer com grileiros, aventureiros, desmatadores e garimpeiros? Aí iniciará a destruição", afirmou.

Quem também compartilha dessa opinião é o Núcleo de Ciências da ONG WWF Brasil, que inclusive publicou relatório onde consta que menos de 30% da reserva estaria acessível para a exploração de recursos minerais. Ou seja, esses locais estão dentro de uma grande área protegida. O receio da WWF, de acordo com o documento, é de que haja conflito entre os interesses do setor mineral e a conservação da natureza. E alguém duvida disso?

De acordo com o diretor da ONG, Maurício Voivodic, em matéria do site Amazonas Atual, a liberação da exploração mineral na Reserva do Cobre irá causar impactos irreversíveis ao meio ambiente da região e aos brasileiros que lá vivem. "Além da exploração demográfica, desmatamento, perda da biodiversidade e comprometimento dos recursos hídricos, haverá acirramento dos conflitos fundiários e ameaça aos povos indígenas e populações tradicionais", comentou.

Como podemos ajudar a salvar a Amazônia

Enquanto as atividades de mineração não se iniciam efetivamente, é possível fazermos a nossa parte, pressionando o governo para que volte atrás de sua cruel decisão. Uma iniciativa é a do Greenpeace, que criou o slogan "Todos pela Amazônia", o qual pode ser usado como hashtag em suas mídias sociais e você também tem acesso a um abaixo assinado no site criado especialmente para discutir o fim da Reserva do Cobre. 

Há também uma petição da comunidade de mobilização, Avaaz, a respeito.

Assine, se informe, compartilhe com sua comunidade. Não vamos deixar que esse assassinato em massa acontecer em nosso país! #todospelamazonia


Até logo!

domingo, 23 de julho de 2017

Cadê a frondosa árvore que estava aqui? Denúncia de poda drástica em Guaratuba

Olá pessoal,

Por diversas vezes falamos aqui no blog sobre as podas drásticas que parecem ter virado moda em Curitiba. Frequentemente nos deparamos com essa crueldade que devasta e deixa as árvores completamente indefesas contra doenças e pragas.

Dessa vez recebemos uma denúncia de uma moradora do bairro Brejatuba, em Guaratuba, chamada Fernanda. Ela contou que quase diariamente passa em frente a árvore e, ao invés de observar aquela bela forma verde como de costume, sentiu-se espantada e indignada ao verificar que, em plena luz do dia, uma barbárie estava acontecendo: toda a sua copa estava sendo cortada.

Essa foi a cena registrada pela moradora. Quando
ela chegou já era tarde demais. 

Assim era a árvore antes do crime acontecer: frondosa, bela, cheia de vida!


A árvore fica situada na Avenida Curitiba, 1272. O local é bastante movimentado e, mesmo assim, parece que ninguém estava preocupado com multas ou algo do gênero. Pelo seu porte, vê-se que não é jovem e há algumas décadas embeleza, traz sombra e melhora a qualidade do ar ao seu redor. Mas, de repente, alguém resolve podar a sua copa. Ou mutilar? Porque isso que fizeram é uma mutilação. 

Assim ficou a árvore, ou o que restou dela.
Quanta tristeza!


Acabaram com a frondosidade da árvore. Com a sua saúde. E quem sabe até com a sua vida, pois como ela ficou totalmente vulnerável alguma doença pode tomar conta dela.

Pelo que a moradora nos contou, recentemente o sobrado situado em frente a árvore começou a ser reformado, então ela supõe que possa ter mudado de proprietário. E que esse novo morador não goste muito de árvores, ou achou que de alguma forma ela estava ofuscando a fachada, ou que ia ter muito trabalho para varrer as folhas da calçada. Essas coisas que os ogros do coração peludo  pensam. Fato é que ele acabou com toda aquela beleza e, o pior, sem dó e nem piedade.

Na cidade não há um canal com o cidadão para que se possa fazer uma denúncia de corte. Em função do tempo que passa em seu comércio, a moradora não conseguiu ir pessoalmente até a Prefeitura de Guaratuba, mas nos pediu que denunciássemos aqui. Esse corte foi autorizado, prefeito Roberto Justus? Há algum tipo de fiscalização em relação a isso ? E orientação aos cidadãos? Pelo que a moradora nos contou, não! Mas caso haja algum projeto ficaremos felizes em postar aqui.

Esperamos que a moda não pegue no litoral do Paraná também, como aconteceu com Curitiba. Por mais que esse tipo de poda seja proibida por lei, parece que nossos representantes fazem "vista grossa" e não se preocupam muito o meio ambiente.

Nos ajudem a auxiliar as nossas tão estimadas árvores. Denunciem aqui no blog, compartilhem com os amigos. Façam com que mais pessoas se compadeçam, se informem, se preocupem em preservar o verde, tão essencial para a vida de todos nós.


Até logo. 

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Sinfonia do Adeus: ouça uma árvore, reflita e se emocione!

Olá pessoal,

Depois de termos mostrado que as árvores SENTEM e se comunicam no post “Sim, as árvores tem sentimentos!”, chegou a vez de mostrar que também é possível ouvi-las.

Isso porque o Instituto Terra, em parceria com a agência americana, J.Walter Thompson, criou uma campanha que busca sensibilizar as pessoas sobre a importância de se proteger a Mata Atlântica por meio da música. A campanha foi criada com a colaboração do artista alemão, Bartholomäus Traubeck, que transforma árvores devastadas em música.

Ele desenvolveu uma tecnologia a laser capaz de ler e traduzir ranhuras e sulcos de um disco cortado de um Pau-Brasil. A música, batizada de Sinfonia do Adeus, é feita ao som de piano e tem melodia dramática, capaz de tocar qualquer coração (ou é pelo menos o que imaginamos!).

Com esse disco de Pau-Brasil foi criada a sinfonia

Além de chamar a atenção para os números alarmantes de cortes de árvores no Brasil, cerca de um milhão por dia, e também para o que resta da nossa Mata Atlântica, hoje com somente 8% do seu tamanho original, busca também mobilizar a população e as empresas para a doação de recursos, os quais serão voltados para ações de reflorestamento na mata, principal missão do instituto.

Ficou curioso? Então se prepare para se emocionar e refletir sobre essa situação tão triste, lamentável e também muito perigosa para a vida na terra. Ouça a Sinfonia do Adeus: https://www.youtube.com/watch?v=1I7RcUDwYGI

E, se depois de ouvir o lamento dessa árvore da espécie Pau-Brasil, que pede pela vida de suas companheiras, você quiser contribuir com o projeto através da doação de valores ou pela compra de pôsteres, acesse www.sinfoniadoadeus.com.br e saiba mais.

Gostou do post? Compartilhe, espalhe a ideia de preservação você também.

Até mais.


terça-feira, 20 de junho de 2017

Ano após ano a situação se repete: árvores do Boa Vista continuam pedindo socorro!

Olá pessoal,

É incrível, mas parece que, em relação ao cuidado com o meio ambiente, Curitiba parou no tempo. Gestão após gestão no município e a crueldade com as nossas árvores continua. Hoje vamos denunciar, mais uma vez, a poda drástica sofrida pelas árvores da Rua Jovino do Rosário, entre os números 712 e 722:

Veja a situação da árvore, totalmente desprotegida, sem galhos nem folhas

Em 2012, ou seja, há cinco anos, já havíamos feito a mesma denúncia de poda drástica, com a matéria SOS: as árvores do Boa Vista pedem socorro! . Na época, as árvores dessa movimentada rua do bairro já vinham sofrendo a mesma crueldade. E nada mudou! Nesse vídeo dá para ver como estava a situação anteriormente:  https://youtu.be/klqp5FslSDw

E, nesse mês, constatamos a mesma situação. Isso é um verdadeiro assassinato:


Repare as árvores lá na frente. Frondosas e cheias de vida. 
Mas até quando?

O que leva a Prefeitura de Curitiba a autorizar esse tipo de poda, a qual sabemos que é proibida por lei por trazer sérias consequências para as árvores, como doenças e a morte? Vejam uma outra matéria feita por nós, “Denúncia do Vândalo Verde: poda drástica”, também em 2012, a qual explica porque esse tipo de poda é vedada pela legislação ambiental do município.

E, qual seria o motivo para essa verdadeira atrocidade? Transformar a cidade em uma selva de pedra? Ou deixar mais espaços para a publicidade, pois assim se ganha mais dinheiro? Reparem que nas fotos acima tem um outdoor, o qual tem que ser visto, afinal. E de que forma, com “galhos atrapalhando”? Ou, ainda, será que o objetivo é evitar folhas no chão...afinal, será que alguém gosta de verde na Prefeitura de Curitiba?

E, o pior, quem deveria zelar pela questão ambiental em Curitiba, além de não promover nenhum tipo de conscientização, ainda aprova (ou faz vista grossa) esse tipo de situação. E assim tem que já pense que é normal, que o corte de árvores é uma questão cotidiana. Afinal, se vê isso todos os dias!

Até quando isso vai acontecer? Será que daqui a mais um tempo ainda restarão esses troncos, ou irão sumir como num passe de mágica, sem que ninguém perceba? Ou, quase ninguém, pois nós percebemos  e seguimos denunciando aqui!

Nos ajude na missão de defender as nossas tão estimadas e importantes árvores. Compartilhe com seus amigos, entre em contato com a gente caso tenha uma denúncia para que possamos repercutir no Vândalo Verde.

Até mais.





segunda-feira, 22 de maio de 2017

Sim, as árvores têm sentimentos! Pesquisador alemão faz estudo que comprova o que já imaginávamos.

Olá pessoal,

Para quem não viu a reportagem do programa Fantástico, exibida esse mês, e que trouxe o belo trabalho de um pesquisador alemão a respeito da comunicação entre as árvores, terá a oportunidade de ver aqui e, muito provavelmente mudar o seu conceito sobre elas para sempre, como aconteceu com a gente (tudo bem que já éramos apaixonados por essas “verdinhas”, mas com certeza essa pesquisa nos trouxe ainda mais vontade de continuar defendendo nossas companheiras até o fim!). 


Floresta da Espanha com formato de coração!


Em seu trabalho, que se transformou no livro “A vida secreta das árvores”, o cientista e engenheiro florestal, Peter Wohlleben, mostrou que embaixo da terra há uma rede de comunicação, ou uma “sociedade da floresta”, em que as árvores se protegem, criam laços afetivos, mandam mensagens, se comunicam, se organizam e dividem seus recursos com aquelas que mais precisam. Um exemplo mostrado na matéria é o de uma árvore que caiu ou foi cortada há duzentos ou trezentos anos, mas continua viva porque as outras a estão ajudando. 

Outro dado bastante interessante apresentado pelo pesquisador é a similaridade entre os processos elétricos originados das raízes e os que acontecem em nosso cérebro. De acordo com Wohlleben, seria algo parecido com pensamentos. Ou seja, além de serem organismos vivos, elas também sentem. E, pelo jeito, muito mais do que a gente imaginava.

A reportagem também trouxe a opinião do botânico brasileiro, Ricardo Cardim, do blog Árvores da São Paulo, que concorda com as teorias do cientista alemão. Segundo ele, ainda se sabe muito pouco sobre as interações que ocorrem numa floresta, mas ele acredita que sim, existe toda uma sintonia de vida em uma floresta.

Depois de assistir essa matéria, não há como não refletir sobre a beleza de tudo isso, uma família entre as árvores e o amor que sentem uma pelas outras. Se uma é cortada, todas as outras sofrem, podendo se comparar com a perda de um ente querido. Quiséramos nós que todos começassem a  entender sobre a importância que uma árvore tem para a outra e  também a nossa dependência, como seres humanos, de que eles vivam para que possamos também viver. Confira a reportagem!

https://globoplay.globo.com/v/5852605/programa/ 


Compartilhe, reflita, nos ajude a conscientizar quem ainda pensa que árvores são como postes, que podem ser cortadas indiscriminadamente sem nada sofrer.

Até logo!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Queda de árvores em Curitiba: de que maneiras a ação humana contribui (e muito!) para o problema?

Olá pessoal,

Há poucos dias, mais uma vez, a chuva forte, acompanhada de vento, derrubou inúmeras árvores em vários bairros de Curitiba, deixando as pessoas sem luz, o tráfego interditado, além de danos materiais que com certeza causaram. Na sequência, vieram notícias em diversos veículos de comunicação, os quais, em 100% dos casos, ou quase isso, passaram informações de que a natureza, em “mais um dia de fúria”, acabou causando esses acidentes.



aqui, a princípio, a queda causou somente danos materiais
e falta de luz. mas poderia ter sido pior, caindo em cima de alguém!


Mas espera aí: a gente sabe que os ventos, dependendo da velocidade, são capazes de verdadeiras catástrofes. Porém as árvores, as quais são feitas para aguentarem esse tipo de situação, se estivessem vivendo em boas condições, sem uma agressão aqui e ali, cairiam assim, nessa quantidade? É claro que não! Então resolvemos falar sobre isso, já que nos parece tão fácil tratar a situação como inevitável, sendo que algumas atitudes, se levadas em consideração, poderiam diminuir consideravelmente o problema.

Em primeiro lugar, árvores com raízes doentes são muito mais suscetíveis à queda. “Alguns tipos de árvores, como a Tipuana Tipu e Caesalpinia Ferrea (pau-ferro), têm as raízes sufocadas pelo cimento ou asfalto da rua. Com isso ficam mais vulneráveis, já que as substâncias tóxicas podem matar parte da base. Por isso é fundamental planejar bem qual espécie será plantada na calçada e tomar cuidado para não prejudicar a raiz”, afirma o biólogo, Marcos Buckeridge, em entrevista para o portal Catraca Livre. Matéria completa aqui: https://catracalivre.com.br/geral/sustentavel/indicacao/entenda-porque-as-arvores-caem-e-como-evitar-esse-problema/

É bem possível que esse seja o caso! pelo porte da árvore dá para imaginar
o tamanho de sua raiz. Possivelmente uma parte dela estava sufocada!


Prefeitura de Curitiba, que tipos de cuidados são tomados na hora de plantar árvores nas calçadas? Há um estudo de cada espécie antes do plantio? Ou ainda, há algum tipo de conscientização e educação da população nesse sentido? Se houvesse, casos como o de uma “cidadã”, que massacrou (na verdade pagou para massacrar) uma raiz em plena luz do dia, sem a menor preocupação, não aconteceriam tanto. Confiram nosso último post a respeito do assunto, e podem se indignar tanto quanto nós: http://www.vandaloverde.com.br/2017/03/arvore-nao-e-poste-corte-suas-raizes-e.html  

Árvores não são postes!  

Além disso, não só raízes doentes são as responsáveis por possíveis quedas. Podas drásticas, ou mal feitas, também são extremamente agressivas para as árvores, podendo interferir em seu equilíbrio ou trazerem doenças,  o que as tornam mais vulneráveis. Falamos algumas vezes sobre o assunto aqui. Confiram mais informações nesse post: http://www.vandaloverde.com.br/2012/07/denuncia-do-vandalo-verde.html

Essa árvore não caiu por inteiro, mas, caso a sua poda tenha sido malfeita (o que não é difícil de acontecer), o próximo vento forte pode ser fatal 


O caso é que a Prefeitura faz vista grossa e parece não se incomodar com a situação. São tantos os casos em Curitiba diariamente, e a gente fica sabendo de algum tipo de punição? Nós pelo menos, não! E, para piorar, além de deixarem essa crueldade acontecer livremente, também não observamos técnicos fazendo análise de árvores que já estão condenadas e que de alguma forma podem oferecer perigo. Afinal, depois os meios de comunicação colocam a culpa somente no vento e na chuva. Fácil, não?

“Deve-se investir em diagnóstico, cadastro e avaliação das árvores. A primeira medida é ter um sistema de informação geográfica e contratar equipes para avaliá-las individualmente e abastecer o sistema com diagnósticos visuais. Após essa etapa, as piores árvores devem ser substituídas e as árvores com risco devem ser monitoradas por meio de equipamentos que mensuram ocos e problemas de raízes. A árvore é um ser. Ela tem que ser examinada periodicamente. Dá para fazer o diagnóstico, com avaliação visual, passando de carro pelas ruas a 40 km/h. Quando se verifica um erro na árvore, aí entra a avaliação técnica, com equipamentos de última geração, que identificam as falhas", afirma o agrônomo, Demóstenes Ferreira da Silva Filho, em matéria para o UOL.

De acordo com ele, falta conhecimento sobre as árvores, e os cidadãos podem e devem participar mais do trabalho de prevenção. "Há defeitos clássicos. Seria fácil a comunidade identificar visualmente." 

como as pessoas não estão preocupadas com a saúde das árvores,
pois não foram acostumadas a isso, acabam não notando algum tipo de problema ou doença. A consequência a gente pode ver!


O caso é esse: desinteresse da Prefeitura de Curitiba e desinteresse do cidadão, o qual, muitas vezes, por total falta de conhecimento, nem pensa sobre o assunto, e as consequências assustadores aparecendo a toda hora. E a tendência é piorar, pois sem árvores, além do vento se tornar ainda mais devastador, todo o meio ambiente fica desregulado.

Até quando viveremos assim, colocando a culpa da natureza e nos ausentando do problema? Uma árvore precisará cair na cabeça de quantos para que alguma coisa seja feita?

Por sorte aqui, pelo jeito, não houve acidentes materiais e nem, o que seria pior, a queda dessa árvore em cima de alguém, como uma criança ou idoso, por exemplo. Mas essa não foi a primeira e nem a última chuva com vento forte em Curitiba. Como serão as próximas?


E assim vamos seguindo. Preocupados com os rumos que as coisas estão tomando...

Até logo!

*crédito das fotos: Gazeta do Povo e Tribuna do Paraná

terça-feira, 14 de março de 2017

Árvore não é poste! Corte suas raízes e ela pode acabar caindo na sua cabeça!

Olá pessoal,

Já ouviram falar sobre as árvores da espécie “Poste”? Pois é, a gente também não! Porém, existem pessoas que acreditam que elas existem e se sustentam como o concreto no chão, não necessitando de suas raízes para permanecer em pé. Absurdo, não? Mas é a pura realidade!

Esse foi o caso de uma árvore, a qual sofreu poda drástica de suas raízes em plena luz do dia, por alguém obviamente não habilitado, e a mando de uma “cidadã”, que em sua completa ignorância, achou que tirando as raízes da calçada da forma como foi feito, haveria chances da árvore sair ilesa. Ou não! Pois assim, suavemente, dia após dia, ela vai padecendo até cair e morrer.

O problema é que, no “belo dia” em que a queda acontecer, pode ser que um acidente aconteça. Se a árvore não cair na cabeça de quem a cortou, pode vir a machucar qualquer pessoa, seja uma criança, um idoso, ou também destruir bens materiais de terceiros.


A seguir vocês podem conferir as fotos e também um vídeo dessa “poda”, ou diríamos massacre, a qual foi documentada por um vizinho que, indignado, entrou em contato com o Vândalo Verde. A crueldade da vez aconteceu na Rua José Merhy, 1254, no Bairro Boa Vista, em Curitiba. Um detalhe importante: o “serviço” foi feito justamente no sábado, quando não há fiscalização. Será que de forma proposital? Não temos dúvidas disso! 

Aqui vocês assistir um pouco do massacre, o qual foi conferido de "camarote" pela dita cidadã: https://www.youtube.com/watch?v=lIwnpxfUHoY

E eis as fotos: 






Já falamos sobre os perigos da poda de raízes em um post anterior aqui no Vândalo Verde. Nele, a pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam), da Unicamp, Dionete Santin, que concedeu entrevista ao site G1, explicou que “uma poda que compromete mais de 50% das raízes, que as retira com um corte vertical sem estudo prévio de planta, pode comprometer sua estrutura”.

Além disso, ela explicou que a queda da árvore comprometida pode levar anos, em função de sua pseudo-sustentabilidade, porém essa pode cair durante qualquer ventania ou chuva, ocasionando possíveis acidentes, até mesmo graves. Para quem quiser conferir o post na íntegra, segue o link: http://www.vandaloverde.com.br/2015/02/cuidado-ao-podar-raiz-de-uma-arvore.html

E, só para deixar a situação um pouquinho pior, gostaríamos de dizer que essa “cidadã”, a qual acha que a árvore é poste, foi a mesma que, há mais de três anos, fez um abaixo assinado para derrubar uma árvore da espécie Tipuana, a qual, após várias tentativas de salvamento pelo Vândalo Verde, acabou sendo retalhada por funcionários da Prefeitura de Curitiba. Vejam a matéria: http://www.vandaloverde.com.br/2013/08/mais-uma-vez-natureza-perde-tipuana-e.html

Até quando a natureza vai perder para a ignorância de alguns? É engraçado, pois é tanta covardia com aqueles que não podem se defender, seja uma árvore, uma criança, ou qualquer ser indefeso. Quanta crueldade, insensibilidade, falta de noção de que todos somos um só e dependemos de outras vidas para seguir a nossa. E as árvores, como sabemos, são de extrema importância nesse ciclo.

Mais uma vez nos despedimos tristes e indignados. Faça sua parte, nos ajude a relatar aqui esse tipo de caso e também nos mostrar finais felizes para a natureza. Contamos com vocês. Até logo!